Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

docarlos

docarlos

18.11.18

BLOCO`s


docarlos.blogs.sapo.pt

As novas classes sociais, constituídas essencialmente por assalariados, proletários portanto, que usufruem de rendimentos médios q. b. para terem acesso aos modernos bens de consumo, incluindo habitação, seguros de saúde e pagamento de créditos, têm seguido invariavelmente as mesmas opções em diversos países da Europa: agruparem—se em organizações políticas sem horizontes sociais, seja, sem terem em vista uma nova sociedade. Para elas, para estas massas imensas, em geral ligadas aos serviços, directa ou indiretamente, que servem uma indústria quase não produtiva ou, que produz para o imediato, como é o caso do Turismo e transportes, não interessa futuro, mas o dia—a—dia. A demonstra—lo, estão as suas propostas politico/economicas, como a liberalização das drogas, ou a legalização da prostituição; o estabelecimento de impostos directamente virados para a prevalência do capitalismo, o radicalismo sobre problemas culturais, impossíveis de levar avante, como o caso das touradas, etc., etc.

Mas esta gente, estes proletários, são o futuro, não havendo como negá—lo. São portanto, urgentes medidas do campo revolucionário para trabalhar em conjunto e fazer mudar a sociedade.

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Tudo Mesmo

    18.11.18

    No meu ponto de vista, a liberalização das drogas não vai aumentar o seu consumo. Quem o quer faz.
  • Pois. Também compra TLM quem quer, quem come hambúrguer, quem compre perfumes, quem viagem para as Caraibas, etc.
    Sabe o que é "marketing" (outra inglesice)?
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.