Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

docarlos

docarlos

26.09.20

EU ACUSO !


docarlos.blogs.sapo.pt


CRIME × 2? (um já está consumado)

Tenho dado a entender, mas nunca fiz a acusação directa; primeiro, porque não tinha provas; segundo, porque não tinha culpados directos; mas agora, os últimos dados do INE, vêm confirmar as minhas suspeitas (tinha esperança que assim não fosse).
Desde o início daquilo a que pomposamente chamam de pandemia (a sua forma de transmissão pode levar a essa designação, mas a que os números, colocam dúvidas), que as coincidências entre as afirmações de dezenas de políticos e homens do mundo económico e politico, e a situação sanitária global actual, são muitas (todos nos lembramos da ex Presidente do FIM, Cristiane Lagart, dum ministro holandês e da portuguesa Ferreira Leite).
Vou-me basear na situação nacional, mas o problema é quase global, embora com algumas diferenças, principalmente no campo das intenções.
Não existem dados científicos, que comprovem a origem e transmissão original para o coronavírus, mas mediante os resultados, terão morrido em Portugal, mais quase 5900 pessoas do que em igual período do ano passado e, apenas 1900 com registo por COVID, o que quer dizer que, há 4000 mortes que se devem ao desleixo das autoridades em relação a outras doenças. Resumindo, o pânico que leva as pessoas com outras patologias graves, a evitar consultas e exames, e o cancelamento de consultas, exames e cirurgias, acabam pela negativa, de fazer o trabalho (eventual trabalho) que possivelmente foi iniciado com a introdução do vírus no seio humano: os "inúteis", os despesistas da saúde e das pensões, se não morreram do vírus, acabaram por morrer do abandono.
Ora isto é um crime, é homicídio; por negligência?, por premeditação? Um caso para os tribunais, se algum dia funcionarem para o povo. Mas eu, ACUSO! Acuso o grande capital financeiro e industrial farmacêutico e restante burguesia ligada aos média, de premeditação e, ACUSO!, os políticos burgueses, de conivência e negligência.
A actuação do Governo (governos), secalhar em conflito com muitas autoridades de saúde neste caso a portuguesa, por quem noutro uma especial simpatia), é criminosa, é obediência à voz do dono que na maioria dos casos os elegeram à custa de financiamentos a partidos e corrupção individual pura e simples. Em Portugal, sempre fui incondicional simpatizante da Dra. Graça Freitas e de Marta Temido, em quem continuo a acreditar, mas de quem estou a perder as esperanças, por estarem a ceder a Costa e este, aos donos da economia.
As casas de despejo para velhos, vulgo, Lares, têm sido autenticos matadouros, onde reina o homicídio puro e simples: a famosa eutanásia que tantos filhos da mãe ou inconscientes desejam legalizada; os que em casa estão, são abandonados às suas múltiplas doenças, que embora próprias da idade, acabam por os matar mais cedo.
Sim, estas duas circunstâncias, são um crime; EU ACUSO, e como cidadão, velho, filho que já fui, pai e avô, exijo do MP uma averiguação rigorosa, acusações e condenações.
                   ........................

Mas nada disto pode ser fortuito. Tudo teve um começo, que entretanto não posso provar por falta de factos científicos; no entanto, já nada me impede de expor o que penso.
Antes porém, devo esclarecer os "revolucionários" anti "anti-vacinas", de que é às vacinas descobertas e aplicadas no século XX (sarampo, bcg, varíola, etc,.), que se deve o grande avanço na esperança de vida. Vacinas, que ligadas aos diagnósticos precoces, revolucionaram a Saúde.
Digo isto, porque vou escrever, contra um, ou dois, tipos de vacina, cujo aparecimento mais recente, levanta muitas dúvidas, pois aparecem numa altura em que a indústria farmacêutica está mais interessada nos lucros, do que em saúde pública. Tratam-se de vacinas contra a gripe (mais do que inúteis como comprovam a afluência aos hospitais por quem a toma), e que levam os governos e utentes, a gastarem fortunas, em lugar de aplicar em, p ex, energia mais barata para aquecimento e melhores salários para vestuário adequado às estações frias. Existe também uma outra vacina, cujos resultados só saberemos dentro de vinte anos, muito duvidosa, e que, após os últimos meses, se encaixa como uma luva nesta coisa da diminuição populacional: a vacina contra o cancro do colo do útero, que poderá estar a esterilizar jovens ainda na adolescência. Mas como digo, essa, só dentro de duas dezenas de anos, poderá ter confirmação.
Mas voltemos à vacina contra a gripe, que um, ou mais laboratórios, em conluio com o Grupo de Bildberg, poderá ter utilizado para a introdução artificial, do coronavírus causador da COVID-19. Tomando voluntariamente, ou obrigados (nos Lares), muitos idosos, terão possivelmente ajudado à sua e doutros, eutanásia. O contágio de um vírus altamente potente e destruidor quando encontra fraquezas imunológicas, em ação durante algumas semanas, faz o resto.
Se se confirmar estas suspeitas de introdução do vírus, será um crime horroroso, um holocausto contra a humanidade, porque as pessoas confiam em algo que em princípio, as deveria proteger. Será um atentado contra a ética na medicina: não há palavras para descrever tal crime porque nem já o nazismo o consegue catalogar.
É tempo de se colocar um travão, agarrar os criminosos e dar-lhes a "vacina" e a urna adequadas.